Curso - Aplicando na Prática O Jeito Disney de Encantar Clientes - 14 de março de 2019

Aprenda a Metodologia da Disney e aplique-a na prática na sua empresa. Workshop baseado no livro “O Jeito Disney de Encantar Clientes”.

Saiba Mais

Curso - Lições de Criatividade Estilo Disney/Pixar - 15 de março de 2019

Aprenda como Aplicar as Lições de Criatividade e Inovação para sua empresa. Inspire-se com as práticas mais inovadoras do mercado.

Saiba Mais

Faça os cursos da Lederman Consulting & Education tendo Orlando como cenário

Invista em você com os Cursos de Excelência e Criatividade! Você irá desenvolver suas competências e vivenciar a realidade dos serviços turísticos de Orlando.



Saiba Mais 

Sejam bem vindas as reclamações dos Clientes

Defeito zero é uma meta inatingível nas empresas que prestam serviços, mesmo nas de primeira linha. O melhor sistema de reserva de passagens aéreas do mundo não pode prever quando um aeroporto vai fechar por problemas de cerração.   Erros são inevitáveis, mas consumidores insatisfeitos não. Se as falhas são corrigidas e superadas com maestria, Clientes bravos e frustrados podem transformar-se em fãs da companhia. Passar por um problema reduz a lealdade do Cliente de 15 a 30%.   Qualquer escorregada – como uma entrega atrasada – representa a oportunidade de sair da rotina ao consertar um erro, deslumbrando o consumidor com um serviço excelente e, dessa forma, reconquistando um Cliente para sempre. São aborrecimentos aparentemente pequenos que deixam as pessoas furiosas.   Se um consumidor passar de completamente insatisfeito para completamente satisfeito após o tratamento da sua reclamação, podemos obter um aumento de 50% na lealdade. Se ele passar para parcialmente satisfeito, a lealdade decai em 25% em relação aos Clientes totalmente satisfeitos. Muitas vezes, os totalmente satisfeitos apresentam maiores índices de lealdade que os Clientes que não tiveram problema algum.   Além disso, Consumidores que têm experiências ruins falam sobre elas a aproximadamente onze pessoas. Os que têm experiências boas falam para apenas seis.   Estimule as reclamações dos clientes silenciosos   Clientes que reclamam são uma exceção. A maioria não se queixa, porque acha que a situação não tem conserto ou porque não quer chamar atenção. É preciso estimular a maioria silenciosa a se manifestar, para que a companhia possa resolver as questões e conservar os clientes. Na média apenas 50% dos Consumidores e 25% das... ler mais

Database de casa faz milagres

Num estudo da Associação Americana de Marketing Direto (DMA) observou-se que as ofertas de e-mail, particularmente aquelas enviadas a listas oriundas de banco de dados proprietários das empresas, produziram, de uma maneira geral, maiores Retornos Sobre o Investimento nas ações focadas em resposta imediata de pedidos, geração de leads ou de tráfego em lojas. Mudanças de mercado, acompanhadas de tecnologias de banco de dados que hoje direcionam os programas de marketing interativo e direto, levaram a um aumento da abrangência de ferramentas no mix de marketing. Dentre elas, o e-mail aparece com um grande destaque, como veremos a seguir. De acordo com o estudo, o e-mail marketing com objetivo de obter pedidos obteve um índice de Retorno Sobre o Investimento (ROI) de 14,2. Seguido pela TV de resposta direta com 8,4, encartes com 7,3 (estes são eficazes pois otimizam custos de postagem) e mala direta com 7,2. (vide Tabela1 – Retorno Sobre Investimento por canal). Tabela1 – Retorno sobre investimento por canal Enquanto o telefone e o catálogo obtiveram boas taxas de resposta (5,73% e 2,32% respectivamente), ambos geram um menor ROI devido aos seus maiores custos relativos a mão de obra e produção. O desempenho da mala direta dimensional (ROI de 5,6) deve provocar nos operadores brasileiros uma reflexão, pois ela é tido como “cara” pelos seus custos maiores de produção. Porém, só perde para o telefone em termos de taxa de resposta (3,36% contra 5,73% respectivamente). Sob a mesma perspectiva, o cupom poderia ser mais considerado. Já na geração de leads, o e-mail, telefone e revistas provaram ser os três mais eficazes meios. Sendo liderados novamente pelo... ler mais


Organização e Promoção dos eventos e cursos do Disney Institute

— Cursos oficiais no Brasil
— Cursos oficiais em Orlando
— Eventos “In Company” no Brasil e exterior
— Consultoria e treinamento baseados no livro
— “O Jeito Disney de Encantar os Clientes”

WORKSHOP            MAIS SERVIÇOS


Escola

MBA em Excelência de Serviços com módulo internacional em Orlando/Disney – 2016

SAIBA MAIS

Consultoria e Treinamento Empresarial

Mais de 20 anos de experiência para a garantia de excelentes resultados para sua empresa. Nosso lema é “resultados práticos na conquista e gestão de clientes” onde mesclamos os últimos desenvolvimentos acadêmicos com as melhores práticas do mercado.

SAIBA MAIS

 Educação Corporativa

Somos referência em Educação Corporativa, já formamos mais de 10.000 profissionais

SAIBA MAIS

Vendas e Área Comercial

Acelerando e melhorando a performance
da sua força de vendas

SAIBA MAIS

Palestras Motivacionais

Mais de 400 palestras, cursos e workshops
para empresas no Brasil e no Exterior.

SAIBA MAIS


Consulta Completa

Quer uma Consulta Completa?
Veja o que a Lederman pode oferecer para você!

Solicite Aqui


Artigos

O admirável mundo novo do Business to Business na internet

Hoje, mais de 600 milhões de pessoas estão on-line no mundo. Destes, 190 milhões encontram-se na Europa e 183 milhões na região de influência da ALCA (onde, de forma otimista, já tomamos a liberdade de incluir o Brasil). De acordo com a e-Marketer, deveremos ter um crescimento de US$ 3.2 trilhões fora da ALCA (lembre-se do desempenho econômico da China e de outros países da Ásia). Ou seja, os números não negam: O Business to Business na internet está em constante crescimento. Dados do Departamento de Comércio americano mostram que 1% das receitas do varejo foram on-line. Realmente hoje a maioria das Empresas já está on-line e um mundo ainda não muito compreendido, ou melhor, ainda não dimensionado, é o da integração entre compradores e fornecedores empresariais. Pouca gente sabe, mas a GE (General Electric) na Web é maior que a Amazon. Cada vez mais estamos tendo acesso a pesquisas que estudam o comportamento do comprador Business to Business na Web. Por exemplo, já se sabe que ele tende a usar múltiplos canais, pode até colocar o pedido na Internet, mas demanda alguns pontos de contato pessoais. Portanto, o processo de compra torna-se cada vez mais complexo. Além disso, também já se sabe que os fatores de uso dos sites empresariais são, pela ordem de importância: 1º Preço e flexibilidade de pagamento 32% dos compradores descartam as lojas virtuais se o preço é igual ao mundo off-line. Em geral, os descontos são de 9 a 16% com condições facilitadas de pagamento. 2º Conveniência (delivery) Espera-se de um meio rápido como a Internet também uma entrega à sua altura. 3º... ler mais

Sejam bem vindas as reclamações dos Clientes

Defeito zero é uma meta inatingível nas empresas que prestam serviços, mesmo nas de primeira linha. O melhor sistema de reserva de passagens aéreas do mundo não pode prever quando um aeroporto vai fechar por problemas de cerração.   Erros são inevitáveis, mas consumidores insatisfeitos não. Se as falhas são corrigidas e superadas com maestria, Clientes bravos e frustrados podem transformar-se em fãs da companhia. Passar por um problema reduz a lealdade do Cliente de 15 a 30%.   Qualquer escorregada – como uma entrega atrasada – representa a oportunidade de sair da rotina ao consertar um erro, deslumbrando o consumidor com um serviço excelente e, dessa forma, reconquistando um Cliente para sempre. São aborrecimentos aparentemente pequenos que deixam as pessoas furiosas.   Se um consumidor passar de completamente insatisfeito para completamente satisfeito após o tratamento da sua reclamação, podemos obter um aumento de 50% na lealdade. Se ele passar para parcialmente satisfeito, a lealdade decai em 25% em relação aos Clientes totalmente satisfeitos. Muitas vezes, os totalmente satisfeitos apresentam maiores índices de lealdade que os Clientes que não tiveram problema algum.   Além disso, Consumidores que têm experiências ruins falam sobre elas a aproximadamente onze pessoas. Os que têm experiências boas falam para apenas seis.   Estimule as reclamações dos clientes silenciosos   Clientes que reclamam são uma exceção. A maioria não se queixa, porque acha que a situação não tem conserto ou porque não quer chamar atenção. É preciso estimular a maioria silenciosa a se manifestar, para que a companhia possa resolver as questões e conservar os clientes. Na média apenas 50% dos Consumidores e 25% das... ler mais

Nossos Clientes